Assessor de Adriana Accorsi detido por porte ilegal de arma

0
78

Marcus Vinícius de Faria Felipe foi detido ontem por porte ilegal de arma de fogo, caso que não cabe fiança. Familiares já foram visitá-lo no local

image

Esse não foi seu primeiro problema com a polícia. Na madrugada de 31 de outubro de 2010, segundo turno da eleição para governador, ele foi detido sob a acusação de fazer boca de urna e de desacato a autoridade. Ele foi acusado de jogar panfletos apócrifos contra o então candidato Marconi Perillo em frente a um colégio. Na época ele era presidente da Agência Goiana de Comunicação (Agecom) e foi também preso em flagrante por um policial e levado para a Superintendência da Polícia Federal. O então presidente prestou depoimento e foi liberado. Em entrevista ao POPULAR publicada em 1º de novembro, Marcus Vinícius afirmou que a abordagem da PM foi “desnecessária e excesiva”.

Ele negou que tivesse feito propaganda irregular nas imediações do Colégio Ateneu Dom Bosco, onde havia sessões eleitorais. Disse apenas que teria ido buscar seu filho nas proximidades do colégio e que ele foi abordado por seu carro estar adesivado e com material de propaganda eleitoral.

 Continua preso na Delegacia Estadual de Capturas (Decap), no Setor Jaó, em Goiânia, o assessor da deputada estadual Adriana Accorsi, Marcus Vinícius de Faria Felipe. Na manhã deste domingo, a família dele esteve na Decap. O homem está em um dos corredores da delegacia, que está lotada. Com capacidade para oito presos, 64 pessoas ocupam as duas celas do local.  Marcus Vinícius foi preso neste sábado (29), por porte ilegal de arma de fogo e disparo em via pública. Segundo a Polícia Militar, ele estava com uma pistola semiautomática Glock 380 com kit rajada. O assessor apresentou o certificado federal de registro da arma, mas o documento estava vencido desde janeiro de 2013.

Deputada ainda afirmou esperar que as medidas legais sejam tomadas. Assessor Marcus Vinícius de Faria Felipe foi preso por porte ilegal de arma de fogo e disparo em via pública.

 A deputada estadual Adriana Accorsi se posicionou pela sua Fanpage sobre a prisão de seu assessor Marcus Vinícius de Faria Felipe. Ela afirmou que não compactua com “quaisquer atos ilícitos” e que espera que as medidas legais sejam tomadas para esclarecer os fatos. Ela também informou que não autorizou o uso do carro do seu mandato na Assembleia Legislativa do Estado de Goiás para fins que não fossem estritamente profissionais.

O carro citado na nota refere-se a um Renault Logan, que é de uso oficial da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego) e que estava no local em que os policiais foram checar uma ocorrência de disparos de arma de fogo. Dois homens e uma mulher estavam no veículo, que informaram que Marcus era o autor dos disparos.

Confira na íntegra a nota divulgada pela deputada:

“NOTA DE ESCLARECIMENTO

Diante da prisão de Marcus Vinícius de Faria Felipe, neste sábado (29/8), por porte ilegal de arma e disparo em via pública em Goiânia, a deputada estadual Adriana Accorsi informa que lamenta profundamente o ocorrido, que não compactua com quaisquer atos ilícitos e que espera que todas as medidas legais sejam tomadas para apurar e esclarecer os fatos.Além disso, a deputada ressalta que não autorizou o uso do carro do seu mandato na Assembleia Legislativa do Estado de Goiás para fins que não fossem estritamente profissionais.”

 

criação de site