Home / Destaque / Magno Malta recusa convite para ser vice de Bolsonaro

Magno Malta recusa convite para ser vice de Bolsonaro

O senador Magno Malta (PR-ES) – que vinha sendo considerado como uma opção de candidato à vice-Presidência pelo PSL, integrando a chapa do pré-candidato Jair Bolsonaro – afirmou que não vai abraçar a proposta. Ao invés de tentar ser vice de Bolsonaro, Malta decidiu disputar pela sua reeleição no Senado Federal.

Ao invés de tentar ser vice de Bolsonaro, Malta decidiu disputar pela sua reeleição no Senado Federal

Wilson Dias/Agência Brasil – 29.3.2017 Ao invés de tentar ser vice de Bolsonaro, Malta decidiu disputar pela sua reeleição no Senado Federal

De acordo com o jornal  O Estado de S.Paulo , o senador do PR desistiu de ser vice de Bolsonaro sem informar o motivo da sua decisão. Para o pré-candidato presidenciável do PSL, porém, a desistência de Malta impacta diretamente em seu tempo de campanha disponível na TV.

Afinal, construindo uma chapa com o PR, Bolsonaro ganharia mais 45 segundos no ar, para integrar os oito segundos que já tem reservado como candidato à Presidência . Ao todo, o tempo de horário eleitoral gratuito, no rádio e na TV, é de 12 minutos e meio.

Além disso, hoje, Bolsonaro tem seus minutos de campanha inseridos na programação a cada três dias. Com o PR, ele teria direito a duas inserções por dia.

“Vocês querem que eu fique sem televisão, é isso? Eles têm R$ 1,7 bilhão para me ferrar. Está todo mundo contra mim, o centrão e a esquerda, estou sozinho. É R$ 1,7 bilhão que vai ser usado pela campanha deles pra dar porrada em mim”, disse Bolsonaro ao jornal O Globo , na semana passada.

“Eu vou ficar com 8 segundos de televisão e as mídias sociais? No Facebook, até poucos meses, qualquer postagem chegava a 1 milhão, agora para chegar a 100 mil é um sacrifício”, assumiu o pré-candidato.

Vaga de vice de Bolsonaro continua aberta

Apesar da negativa de Malta, o PSL pode ainda estar cortejando o PR, a fim de conquistar os benefícios que tal aliança alcançaria para a campanha de Bolsonaro. Porém, não se sabe quem mais pode ser cogitado como possível parceiro, pronto para assumir o compromisso de ser vice de Bolsonaro , caso ele seja eleito em outubro. A vaga está aberta.

 

 

Comentários

Comentários

Rolar para o Top