Home / Colunistas / O mito da produtividade e o hack que mudou minha vida, por Dimitri Vieira

O mito da produtividade e o hack que mudou minha vida, por Dimitri Vieira

Nós valorizamos demais a super-ocupação e a ideia de que, quanto mais ocupado você está, mais impressionante você é.

Mas será que estar ocupado é realmente importante?

Estamos sempre tão ocupados em estar ocupados que acabamos deixando de ser produtivos. E o resultado é que desperdiçamos o nosso verdadeiro potencial.

Não saber quando será sua próxima pausa ou férias não é impressionante. Pular refeições por não ter tempo também não é um aspecto positivo. Além disso, é estressante e nada saudável.

Ser produtivo não diz respeito a estar sempre ocupado, mas sim às suas realizações. Ou melhor, diz respeito a realizar o que você planejou.

Então, esqueça essa fixação de estar sempre ocupado e aprenda a despender energia da maneira ideal, sem jamais reclamar que está sem tempo.

O problema não é a falta de tempo

Ficar sobrecarregado de tarefas leva você a duas condições: procrastinar ou entrar em um modo enlouquecedoramente ocupado. Então, você coloca a culpa na falta de tempo e chega a desejar por mais tempo no dia.

Mas sabe o que a grande maioria das pessoas faria, caso ganhasse duas horas extras por dia, por exemplo?

Absolutamente nada!

Muito provavelmente apenas prolongariam o tempo de procrastinação e baixa produtividade. Como diz a Lei de Parkinson:

O trabalho se expande de modo a preencher todo o tempo disponível para sua conclusão.

Então, não termos esse tempo extra é, na verdade, um grande favor.

Vamos refletir: quanto tempo você precisa para ter uma ideia brilhante? Ou para ficar inspirado?

Zero! Você não precisa de tempo, você precisa de espaço para pensar. Muitas vezes, a pressão por ser produtivo pode estar tirando o seu espaço e, assim, chegamos ao próximo assunto.

Aprenda a abstrair do mito da produtividade

Existe um poço sem fim com conteúdos sobre produtividade: vários livros sobre o assunto e intermináveis posts sobre hacks que te deixarão mais produtivo.

E o termo hack já está sendo tão banalizado que se tornou sinônimo de “dica básica”. Quase como se um hack para escrever bem fosse apontar o lápis, ou ler mais.

É possível que você encontre um material que revolucione completamente sua produtividade e sua rotina. Mas a verdade é que a grande maioria deles não vai mudar muita coisa.

Porque a produtividade é uma função do tempo. Quando você se propõe a aprender algo novo para trabalhar mais efetivamente, é comum que você planeje implementar isso no dia seguinte.

E o amanhã é uma terra mística onde 99% da produtividade, motivação e realizações humanos são armazenados.

É muito comum que, ao invés de agir, você busque mais informações para ser produtivo e acabe se perdendo num processo de procrastinação intelectual, que nada mais é do que tentar absorver uma quantidade absurda de conhecimento sem colocar nada em prática.

Isso está muito relacionado com um dos maiores problemas que enfrentamos hoje: o overthinking. Nós pensamos demais, planejamos demais e geramos uma expectativa enorme em torno do que gostaríamos de ser e fazer. Mas quando não entregamos, vira apenas frustração.

E eu não serei hipócrita. Este artigo também entra para a pilha da procrastinação.Mas você quer saber qual foi o hack que mudou minha vida, não é?

Pois então, ele não é um hack, mas apenas uma dica. Eu te avisei que as pessoas fazem isso, não avisei?

Mas olhe pelo lado bom, a recomendação que vou te dar é tão básica que você vai começar a praticá-la assim que terminar de ler este artigo.

Até porque o hack que mudou minha vida foi entender que ele não existe.

E que a produtividade está ligada simplesmente a colocar os planos em ação, ou se preferir um termo em inglês para dar mais efeito: getting things done.

Está na hora de colocar em prática

Para não te decepcionar muito, vou resumir 90% dos conteúdos sobre produtividade em um parágrafo. Veja só:

Seja organizado; evite redes sociais; melhor, evite a internet sempre que possível (opa, já falhamos nessas duas hehe); faça uma atividade por vez e faça bem feito, para evitar retrabalho; se errar, tudo bem, você vai aprender e dificilmente vai errar de novo; identifique seus horários mais produtivos e invista nas atividades que exijam maior esforço.

E um bônus: coloque pelo menos uma dessas dicas em prática.

Pronto, “seis hacks avançados para aprender a ser mais produtivo”. Só desenvolver um pouco mais esse parágrafo que temos um artigo.

Mas sejamos sinceros: você já sabe exatamente o que precisa fazer para ser mais produtivo. E a única questão é: será que você está realmente disposto a fazê-lo?

Portanto, quero firmar um acordo com você: escolha alguma dessas dicas e coloque em prática na sua rotina ainda hoje. Mas elas são bem básicas e você com certeza já conhecia todas.

Então, tenho uma ideia melhor. A Comunidade Rock Content fez uma parceria com o Matheus de Souza e o Be Freela para lançar uma planilha com mais de 100 aplicativos e ferramentas para tornar seu trabalho mais fácil.

(Juro que estou me esforçando para parar de te marcar nas publicações e gerar spam no seu LinkedIn, Matheus. Daqui a pouco eu consigo!)

Então, escolha um app e comece a usá-lo assim que terminar de ler. Assim, você já vai se tornar mais produtivo. Depois me conta se deu resultado.

E para compensar a quebra de expectativa, vamos falar sobre o tempo mínimo para aprender uma nova habilidade:

Aprenda qualquer nova habilidade em 20 horas

Existe um gráfico chamado Curva de Aprendizado, que é bem próximo disso:

O que essa curva mostra é que, ao começar a aprender uma nova habilidade, o esforço inicial para aprimorar sua competência não é tão grande. Mas a partir de um certo ponto, atingimos o efeito platô e, para continuar aprimorando, já é exigido um esforço enorme.

Portanto, para ficar excepcional em algo novo, realmente requer muito tempo de treinamento. Mas para ficar bom, não. E segundo Josh Kaufman, são necessárias apenas 20 horas de prática!

Basta seguir alguns passos bem simples, como:

  1. Desconstrua a habilidade que você quer adquirir em etapas;
  2. Aprenda o bastante para ser capaz de se corrigir ao praticar, mas não use essa etapa como procrastinação;
  3. Remova as distrações que te impedem de praticar;
  4. Pratique por um tempo total de 20h.

A verdade é que, quando começamos a aprender algo novo, a grande barreira é intelectual e não uma questão de tempo. Pois começar algo do zero nos faz sentir estúpidos, e ninguém gosta de se sentir assim.

Mas faça as contas: com um tempo de prática diário de 40 minutos em um mês, você ficará bom em uma nova habilidade. Qualquer uma!

Então, o que você gostaria de aprender?


Artigo originalmente publicado na Comunidade Rock Content, reduzido e adaptado para o LinkedIn.

O original cita vários Ted Talks e dá algumas outras dicas sobre produtividade. Sim, é mais um artigo para entrar na pilha de procrastinação intelectual. Então leia por sua própria conta e risco 🙂


Dimitri Vieira

Engenheiro Eletricista formado na UFMG, membro do time de Marketing & Growth da Rock Content, editor-chefe do Comunidade Rock Content e produtor de conteúdo.

Comentários

Comentários

Rolar para o Top