Polícia invade cafeteria em Sydney; sequestrador e dois reféns morrem

0
123

A polícia invadiu a cafeteria em Sydney onde pessoas eram mantidas reféns por um homem armado desde a manhã de segunda-feira, pelo horário local. Pelo menos sete pessoas foram retiradas do café em macas. A polícia de New South Wales afirma que três pessoas morreram, entre elas o sequestrador. Entre os reféns que morreram estão um homem de 34 anos e uma mulher 38 anos. Não foi divulgado se o sequestrador executou as vítimas. Outras três pessoas, entre elas duas mulheres e um policial, ficaram feridas.

Antes da invasão policial, que ocorreu já no início da madrugada de terça, pelo menos sete reféns foram vistos correndo para fora da cafeteria. Depois da invasão, vários tiros foram ouvidos e depois houve um momento de silêncio. Um primeiro grupo de reféns saiu do local com as mãos para o alto. Um segundo grupo, de cerca de cinco pessoas, deixou o café momentos depois.

 

O cerco foi encerrado após dezessete horas de tensão. O homem identificado como Man Haron Monis, um cidadão iraniano que morava na Austrália, invadiu o local por volta das 9h45 (20h45 da noite de domingo, no horário de Brasília). O café fica em Martin Place, no coração do centro financeiro e comercial da cidade, onde estão instalados o banco central do país, as sedes de grandes bancos privados e o gabinete do primeiro-ministro Tony Abbott.

O Channel 9 e outros veículos australianos descreveram as etapas da ação policial, dizendo que, depois de nove horas de silêncio dentro do estabelecimento comercial, pouco depois das 2 horas da manhã o estrondo de uma porta alertou as equipes de que os reféns estavam se preparando para sair. Um homem deixou o local com as mãos para o alto. Em seguida, mais cinco pessoas correram para fora. Um segundo estrondo foi ouvido e a sétima pessoa correu em direção aos policiais.

Houve então o barulho de um tiro e as equipes então invadiram o café. Vários tiros foram ouvidos depois da invasão. A polícia também usou granadas de efeito moral. Em meio à confusão, vários reféns foram retirados da cafeteria. Ao menos sete pessoas foram levadas em macas. Três feridos estariam em estado grave, segundo a CNN.

O responsável pela invasão nasceu no Irã com o nome de Manteghi Bourjerdi, se mudou para a Austrália em 1996 e adotou o nome de Man Haron Monis, segundo a rede britânica BBC. Monis se apresenta como clérigo muçulmano, mas ainda não está claro se ele é realmente uma autoridade religiosa. Ele estava em liberdade sob fiança por ser acusado como cúmplice do assassinato de sua ex-mulher.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui