Home / Destaque / PT ‘colhe o que planta’, diz Alckmin sobre ataque à caravana de Lula

PT ‘colhe o que planta’, diz Alckmin sobre ataque à caravana de Lula

 

Para o governador paulista Geraldo Alckmin (PSDB), o ataque a tiros que atingiu dois ônibus da caravana de Lula (PT) no Paraná, que levavam jornalistas a trabalho, foi um efeito colateral produzido pelos próprios petistas.

“Acho que eles estão colhendo o que plantaram”, disse o tucano nesta terça-feira (27), antes de assistir à pré-estreia de “Nada a Perder”, cinebiografia do bispo Edir Macedo.

Alckmin, que rivalizará com Lula ou outro candidato apoiado pelo PT na eleição presidencial, acusou a legenda rival de “sempre partir para dividir o Brasil, nós contra eles”. Agora, disse, “acabaram sendo vítimas” dessa polarização.

© Rovena Rosa/Agência Brasil

O governador acrescentou que não defende a violência, e sim “o debate de ideias”.

Também no evento que prestigiou o líder da Igreja Universal, o prefeito paulistano João Doria (PSDB) seguiu na mesma toada do colega de tucanato.

“O PT sempre utilizou da violência, agora sofreu da própria violência”, disse Doria, que deixará o cargo para disputar a sucessão de Alckmin. “Mas não recomendo ovos, e sim prisão para ele”, afirmou, em referência à ovada que a caravana lulista levou.

Tanto Alckmin quanto Doria disseram que, por ora, se absteriam de comentar a polêmica “O Mecanismo”, série de José Padilha que fez com que espectadores cancelassem a assinatura da Netflix, furiosos com o que consideram ser uma visão deturpada sobre a Operação Lava Jato -como terem colocado na boca do personagem que representa Lula na ficção uma frase dita na vida real pelo senador Romero Jucá (MDB), “estancar a sangria”, ao defender justamente a derrubada do governo da petista Dilma Rousseff.

Os tucanos disseram que ainda não tinham conseguido ver nenhum capítulo, embora tenham demonstrado interesse. Esposa do prefeito, a artista plástica Bia Doria levantou a mão: ela, sim, assistiu à série. Balançou a cabeça e disse, antes de sair para ver o filme sobre Edir Macedo: “É uma pena o que está acontecendo com a gente”. Com informações da Folhapress.

Comentários

Comentários

Rolar para o Top