Vice-governador coordena reunião entre ONG e secretarias de estado para criação de corredor ecológico ao longo do Araguaia

0
18

Iniciativa de criação de um corredor ecológico com vistas à preservação ambiental ao longo do leito do Rio Araguaia foi debatida em reunião na Vice-Governadoria na manhã desta quinta-feira (16). Com a presença de ambientalistas, professores, representantes das secretarias da Economia e de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, e do ator e defensor da causa, Victor Fasano, o vice-governador Lincoln Tejota criou uma frente de trabalho para avançar na discussão e um plano de trabalho.

Trata-se da continuação de reuniões realizadas também com a presença do governador Ronaldo Caiado, quando foram discutidas parcerias entre o Governo do Estado, União e ONGs para ampliação do projeto de recuperação ‘Juntos Pelo Araguaia’. Para o vice-governador, o tema converge com sua atuação ainda como parlamentar, quando criou a Frente Parlamentar Ambientalista, e com o trabalho que já vem sendo desenvolvido pela secretária Andrea Vulcanis.

“Como o assunto está em evidência, uma vez que o governador Ronaldo Caiado é um grande defensor da recuperação da bacia do Araguaia, o que buscamos é a criação de medidas práticas que protejam a fauna e flora do Cerrado ao longo do leito do Rio Araguaia”, pontuou o vice-governador, ao ressaltar também uma parceria com o governo do Estado do Mato Grosso.

De acordo com o representante do Instituto Onça Pintada (IOP), Leandro Silveira, o projeto segue um vasto estudo que resultou na identificação da viabilidade do Rio Araguaia como o único rio federal com maior potencial para a criação desse corredor. São mais de 12 anos de pesquisa que mostram que o Araguaia é melhor opção”, relata o estudioso, ao defender a implementação da medida.

O ator Victor Fasano ressaltou que a criação do corredor ecológico não visa o fechamento de áreas específicas ao longo da bacia do rio para preservação de matas, o que inviabilizaria o agronegócio de produtores residentes nessa faixa, mas trabalhar com a realidade existente, sem prejudicar o produtor rural. “A intenção é que essas áreas se ajustem à medida em que o tempo for passando, sem a necessidade de desapropriações, por exemplo”, disse.

De acordo com Anah Tereza de Almeida Jácomo, também do IOP, a ideia é incorporar uma ação, já promovida há anos por ambientalistas e produtores rurais, ao programa idealizado pelo Governo de Goiás, o “Juntos pelo Araguaia”. “Nosso objetivo é promover uma via de mão dupla, que contemple tanto a proteção ao meio ambiente quanto o incentivo ao desenvolvimento sustentável encabeçado por produtores que vivem ao longo do Rio Araguaia”, disse.

Convergência
De acordo com o vice-governador Lincoln Tejota, a proposta de criação do corredor ecológico, juntamente com o projeto Juntos Pelo Araguaia pode e deve convergir com outra iniciativa do governo goiano, o Tesouro Verde. O programa alia o desenvolvimento econômico à preservação ambiental, criando condições para que sejam disponibilizados no mercado créditos de florestas, considerados ativos de natureza intangível originários de atividade de conservação e ampliação de florestas nativas. Iniciativa apresentada por Vinícius Ferreira Lima, técnico da Secretaria da Economia (Seecom).

O projeto foi implantado em Goiás em 2017, por meio da Lei 19.763, mas passa por um remodelamento visando a inclusão de áreas urbanas. Sobre as iniciativas, o ponto comum entre elas – a preservação do Meio Ambiente –, e as parcerias, a exemplo da ONG Onça Pintada, o vice-governador diz acreditar que este é o caminho para aliar preservação e produção. “O papel do governo é mediar as ações para que não haja danos nem ao meio ambiente nem aos produtores rurais”, afirma.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui