10º Encontro Goiano de Malabares reúne mais de 100 artistas circenses na capital

0
60

Com técnica e três bolinhas, ou qualquer outro objeto, um artista circense faz malabrares. Diferente de outras modalidades, o malabarista não precisa de estruturas complexas para encantar o seu público. Assim nasceu o conceito e a força do Encontro Goiano de Malabares e Circo que, em sua décima edição, entre 22 e 28 de agosto, reúne em Goiânia 109 artistas de todas as regiões brasileiras. A programação prevê 26 espetáculos, 30 oficinas, cortejo, lançamento de livro, vivências, jogos e premiação, show musical com os grupos Mundhumano, Vida Seca e Afrika Billy em Trio.FOto 1_Encontro de Malabares e Circo Foto2_Encontro de Malabares e Circo

Realização: Trupe Trip Trapo, Ponto de Cultura Arte na Rua, Coletivo É só querê fazê e Zabeta Criações, com apoio institucional da Lei Municipal de Incentivo à Cultura.

Criado em 2007 por Jhony Robson (Palhaço Bulacha), o Encontro Goiano de Malabares e Circo tem um histórico de independência. Já ocupou a Praça do Trabalhador, a Praça Universitária, a Praça Boaventura e, desde o ano passado, instalou-se na Vila Itatiaia, no entorno do Campus 2 da UFG. “Sempre viajei para convenções circenses no Brasil inteiro e me incomodava a falta de informação sobre Goiás, por isso, resolvi convidar os artistas que eu encontrava nestes eventos para conhecer a nossa cidade, participar de uma convenção aqui”, lembra ele.

Para Bulacha, o 10º Encontro Goiano de Malabares e Circo é um ato político de fortalecimento da arte de rua na capital. Todos os artistas ficarão acomodados em um camping da região norte da cidade, intensificando possibilidade de troca de experiências no período de sete dias. “Os artistas estão vindo para Goiânia de forma autônoma, com o apoio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura e diversos outros parceiros, o evento viabiliza toda a estrutura para que as atividades aconteçam. Os espetáculos tem entrada livre e, no final, a gente passa o chapéu, e cada um contribui com o quanto puder e o quanto quiser”, conta Jhony Robson.

Dessa forma, a contribuição do público é livre e espontânea, um dos pilares da arte de rua. Segundo a atriz Sandra Santiago, que coordena o projeto juntamente com Bulacha, “passar o chapéu” é uma prática ancestral que nos faz lembrar que o ser humano se relaciona colaborativamente e sem imposições – porque o direito de não contribuir é respeitado. “Passar o chapéu fortalece a economia criativa, melhora a distribuição de renda e investe na promoção de conhecimento por meio da Arte e da Cultura”, defende.

Economia criativa

Em busca de sustentabilidade para o evento, os organizadores vão promover um “chapéu online”, uma espécie de financiamento coletivo para cobrir demais custos de realização que não foram contemplados até o início da realização do evento, a partir de 22 de agosto o chapéu on line estará aberto para quem quiser contribuir, ele fechará no dia 28 de agosto, com a finalização das atividades na praça de Vila Itatiaia. Pessoas de todo o mundo poderão depositar sua colaboração, remotamente, pelo site www.encontrogoianodemalabares.com.br . Os espetáculo que integram a décima edição do encontro, terão registro audiovisual e serão colocados à disposição dos internautas como recompensa pelo apoio.

De acordo com Sandra Santiago, o Encontro Goiano de Malabares e Circo passará a ocupar o espaço virtual de forma permanente, em um esforço contínuo de mobilização. Desde já, o grupo já começa a tecer rede e articular-se para a realizar, em Goiânia, a 18ª Convenção Brasileira de Malabarismo e Circo, de 10 a 17 de julho de 2017, quando o evento poderá ser realizado fora das regiões sul e sudeste pela primeira vez.

Programação

As atividades do 10º Encontro Goiano de Malabares e Circo se iniciam na segunda-feira (22/8), às 10 horas, com o espetáculo Palhaços Bagagens e Suas Viagens, da Cia Mais Maior de Circo (SP), na Escola Brice Francisco Cordeiro, localizada na Vila Itatiaia. A primeira performance aberta à comunidade está marcada para o mesmo dia, às 18 horas, na Praça do bairro, quando o grupo Cirkombi de Ribeirão Preto (SP) apresenta Cirkombi Bazuka. Na sequência, a Cia da Sorte (DF) conduz uma edição especial do espetáculo Malabariando, com o apresentador Trevo Show e artistas convidados.

Entre as diversas atividades previstas no programa, merece destaque a Vivência para Montagem da Lona, ato simbólico e tradicional que anuncia “a chegada do circo”, na terça-feira (23/8), entre 18h e 22h. Na ocasião, os artistas Saracura do Brejo da Trupe Trip Trapo (GO) e o argentino Caracoll do Minúsculo Circo Caracol vão conduzir a oficina de Capatazia, prática para montagem de um circo ou aparelho circense.

No terceiro dia de trabalhos, artistas circenses, grafiteiros e DJs se juntam, em mutirão, para ações de revitalização da Praça do Itatiai, a partir das 20 horas, na Quarta Crew. Outro destaque é o cortejo de palhaços e malabaristas, que deverá reunir cerca de 500 pessoas, na sexta (26/8), saindo da quadra de esportes do bairro e circulando pelas vias de acesso ao Campus Samambaia.

No último dia do encontro, domingo (28/8), às 10 horas, o encontro promove programação especial no Parque Flamboyant, com o Palhaço Fusquinha do grupo Porta Aberta (Sorocaba-SP), com o espetáculo Otovinu! De volta ao Itatiai, a tarde segue recheada de performances, incluindo a tradicional Gala de Rua,  culminando com o espetáculo A Bailarina e o Palhaço, da Cia Suno de Campinas (SP).

CONHEÇA ABAIXO A PROGRAMAÇÃO COMPLETA.

 Serviço

10º Encontro Goiano de Malabares e Circo – 22 a 28 de agosto 2016

www.encontrogoianodemalabares.com.br

ENTRADA FRANCA

criação de site