Dandô Circuito de Música Dércio Marques

0
544

“Dandô” é uma caravana musical, idealizada pela cantora Kátya Teixeira.

Victor Batista-01a

Teve início em setembro de 2013 e é gerido pelos próprios artistas envolvidos e com apoios locais. Tem o intuito de levar boa música e criar uma cartografia musical do Brasil.

O projeto tem, em seu nome, uma homenagem a Dércio Marques (falecido em 2012), que foi um dos cantadores que mais fez pela arte nos “Brasis” que estão fora do eixo da mídia de massa, unindo artistas de toda parte, de várias gerações, estilos, culturas.

O objetivo é promover uma grande circulação contínua de música por todo o país, com artistas de várias regiões criando um intercâmbio e também gerando novas plateias.

Completando pouco mais de um ano de atividade em 2014 o circuito Dandô já realizou mais de 200 espetáculos por todo o país em 27 cidades por 8 estados brasileiros e conquistou recentemente o Prêmio Brasil Criativo de empreendedorismo cultural – Project Hub/ MINC/SEBRAE – como melhor projeto de Música na Categoria Artes e Espetáculos.

Está lançando seu 1º CD Coletânea Dandô – Um Canto em Cada canto do Brasil em parceria com Distribuidora Tratore.

Dércio Marques

Violeiro, cantador, pesquisador, menestrel, Dércio Marques (falecido em 2012) foi um dos artistas que ao lado de sua irmã Doroty Marques mais fizeram pela arte nos “Brasis” que estão fora do eixo da mídia de massa. Com seu jeito peculiar de alinhavar costumes, conversas,

“arreuní gentes”, ele uniu cantadores de toda parte do país, de várias gerações, estilos, em uma confraternização cultural sem igual.

Artistas do CircuitoKátya Teixeira_foto Mariá Zabote

Kátya Teixeira_Foto Daniel KersysKátya Teixeira – São Paulo/SP

Cantora, compositora, pesquisadora e multi-instrumentista, Kátya Teixeira desenvolve seu trabalho garimpando saberes e sonoridades que incorpora a sua musicalidade, fazendo reverência aos mestres populares e as manifestações culturais autênticas. Indicada ao Prêmio Tim de Música e ao Prêmio da Música Brasileira com 3 de seus 4 CDs. Recebeu o “Troféu Catavento – Solano Ribeiro” da Rádio Cultura SP. É idealizadora e gestora do “Dandô – Circuito de Música Dércio Marques”.

Giancarlo Borba – Terra de Areia/ RS Autodidata, aprendeu violão e começou a acompanhar grupos de bailes de campanha. Buscando aprimoramento profissional, formou-se em música pela Universidade Federal de Pelotas. Como cantor e compositor atuou em diversos projetos participando de programas de rádio e TV. Atua como arte-educador popular e como pesquisador das Culturas Populares. Recebeu indicações no “Prêmio Brasil Sul de Música” e no “Prêmio Açorianos de Música”.

Amauri Falabella – Guarulhos/SP

Com forte influência de variados estilos musicais, Amauri Falabella é considerado pela critica como um Trovador. Venceu o Prêmio Especial do Júri Popular no “Festival da Música Brasileira da Rede Globo”, com sua canção “Brincos”. Como cantor e compositor demonstra sua grande paixão pela viola caipira. Fiel às raízes da música brasileira, prima pela riqueza dos arranjos e pelo traço comum que une todas as canções.

 

Ana Paula da Silva – Joinville/SC

Considerada por críticos brasileiros e europeus com umas das melhores intérpretes da atualidade, Ana Paula da Silva compartilhou o palco com grandes músicos e realizou inúmeros concertos no Brasil e exterior. Vivendo na Áustria por alguns anos, trabalhou com vários instrumentistas na linha do jazz, participando de CDs que receberam importantes premiações. Seus trabalhos também se dedicam à valorização da cultura brasileira e a novos talentos.

João Arruda – Campinas/SP

Comprometido com a valorização e recriação de temas e canções da cultura popular brasileira, é considerado um dos promissores jovens músicos da linha da viola. É responsável pelo projeto musical ‘Arreuní’, que promove encontros mensais com diversos artistas. Como cantor e multi-instrumentista já excursionou pela América Latina e Europa.

Fernando Guimarães – Caldas/MG

Cantador, compositor e violeiro, Fernando Guimarães traz em sua arte o dom do encantamento, com toda a simplicidade que lhe é peculiar. Com uma discografia que inclui participação e produção de grandes mestres da nossa cultura popular, o músico que vive em comunhão com a natureza, realizando o simples sonho de compor e interpretar suas canções, sem nunca deixar a família e os amigos sem o afago de sua voz.

Nádia Campos – Betim/MG Amante da natureza, Nádia Campos canta desde muito cedo a luta pela sobrevivência do que é puro e essencial. O gosto pelo simples e pelas culturas tradicionais fez com que enveredasse pelos caminhos das raízes brasileiras e latino-americanas. Acompanhou e registrou congadas, marujadas, batuques, cantadores e cantadeiras em Minas Gerais e realizou apresentações no Brasil e em países da América Latina.

Valdir Verona – Caxias do Sul/RS

Músico, professor, produtor e diretor musical, Valdir Verona fez participações em diversos álbuns de música e poesia. Desenvolve trabalho de resgate da viola na música do Sul do país, com recitais, shows, composições, gravações, edições de partituras e oficinas de música. Além de diversas turnês pelo Brasil, realizou apresentações no exterior. Ganhou o “Prêmio Excelência da Viola Caipira de 2010” e recebeu indicações ao “Prêmio Açorianos de Música”.

Marcelo Taynara – Uberaba/MG Cantor, compositor, arranjador e instrumentista autodidata, Marcelo Taynara mostra em suas composições e discografia os elementos de sua descendência negra e indígena, a influência do clube da esquina, do congado. Simples e cuidadosamente elaboradas, suas músicas ressaltando a pureza das intenções, exibem efeitos vocais de pássaros, cachoeiras e outros sons da natureza e de percussão, que se tornou o que se uma marca peculiar do artista.

Victor Batista – Pirenópolis/GO

Cantor, compositor, violeiro, pesquisador da cultura popular e contador de histórias, Victor Batista desenvolveu e participou de vários projetos culturais tanto no Brasil como na América Latina. A cultura popular caipira mineira é base do seu trabalho. Poesias, causos, canções e melodias de uma cultura que não tem limite de imaginação e criatividade.

Viola Quebrada – Curitiba/PR

Inspirado no poeta modernista Mário de Andrade, o grupo Viola Quebrada traz em sua essência artistíca uma ampla pesquisa de músicas tradicionais. Com parcerias e homenagens a grandes compositores da música brasileira, o grupo realizou inúmeros espetáculos pelo país Em sua vasta trajetória sonora, é possível encontrar raridades como o fandango paranaense e a dança goiana curraleira. Integrantes Oswaldo Rios – Violão e Voz, Rogério Gulin – Viola Caipira,Rubens Pires – Sanfona,Marcos

Saldanha – Percussão, Sandro Guaraná – Contra Baixo

criação de site