Goiás apresenta maior recuo do País no volume de vendas do comércio varejista

0
245

Em setembro de 2017, o volume de vendas do comércio varejista de Goiás apresentou recuo de 7,2%, na comparação com setembro de 2016, trigésima quarta taxa negativa consecutiva, porém menor que o recuo verificado no mês anterior (-8,3%). No mês, enquanto a variação no volume de vendas em Goiás manteve a sequência de queda, no Brasil houve um avanço de 6,4%, representando o sexto resultado positivo do ano, na mesma base de comparação.
Tabela 1 – Variação no volume de vendas no comércio varejista e varejista ampliado em Goiás e no Brasil,
no mês de set/2017 em relação a ago/2017, e set/2016, acumulada no ano e acumulada nos últimos 12 meses.

 

 

 

 

 

 

Na comparação com o mês de agosto de 2017, o volume de vendas do comércio varejista goiano apresentou um avanço de 0,8% em setembro de 2017, percentual superior ao observado para a variação nacional, 0,5%. No ano, o varejo em Goiás acumulou redução de 9,0%, enquanto o Brasil avançou 1,3%.
O comércio varejista ampliado goiano (varejo e mais as atividades de veículos, motos, partes e peças e de material de construção), também registrou variação negativa para o volume de vendas sobre o mesmo mês do ano anterior (-8,4%). As taxas acumuladas no ano e nos últimos 12 meses foram de -9,4% e -8,5%, respectivamente.
Os dados para as diferentes atividades que compõem o comércio varejista e o comércio varejista ampliado, em Goiás e no Brasil, são apresentados na Tabela 2. O crescimento acumulado nos últimos 12 meses do comércio varejista goiano ficou em -8,5%, recuo maior que o registrado para o conjunto das unidades da federação investigadas, que foi -0,6%. Com relação ao comércio varejista ampliado goiano apresentou, no acumulado dos últimos 12 meses, variação superior ao registrado pelo Brasil (-0,1%), na mesma base de comparação.
Das diferentes atividades que compõem o comércio varejista de Goiás, duas apresentaram variação positiva do volume de vendas no mês de setembro de 2017, frente a setembro de 2016: Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos e de perfumaria (11,8%) e Móveis e eletrodomésticos (10,3%). A maior variação negativa foi verificada no comércio varejista de Livros, jornais, revistas e papelaria (- 27,1%), seguida de Combustíveis e lubrificantes (-24,2%).

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O índice do volume de vendas do comércio varejista ampliado em Goiás (que acrescenta às atividades acima, as revendas de Veículos, motocicletas, partes e peças e de Materiais de construção) em setembro de 2017 apresentou uma queda de 8,4% na comparação com setembro de 2016. A atividade de Veículos, motocicletas, partes e peças, que se acrescenta para compor o indicador, registrou queda de 15,1%, enquanto a de Materiais de Construção apresentou recuo de 10,2%.
Regionalmente, para o volume de vendas do comércio varejista, 23 das 27 unidades da federação assinalaram avanço em setembro de 2017 sobre o mesmo mês do ano anterior. Em contrapartida, no mês, a variação no volume de vendas em Goiás teve a maior queda em comparação com os demais Estados, e Brasil. Os dados referentes a esta comparação no Gráfico abaixo, permitem também posicionar a variação do volume de vendas de Goiás em relação às demais Unidades da Federação.

criação de site