Goiás proíbe entrada e circulação de passageiros de ônibus e avião que venham de estados com casos confirmados de coronavírus

0
30

O governo de Goiás proibiu o ingresso e circulação de transporte interestadual de passageiros, público e privado, de pessoas provenientes de estados que tenham contágio confirmado de coronavírus ou decretada situação de emergência. A medida de segurança visa evitar dispersão do vírus no estado e começa a valer a partir da próxima terça-feira (24).

O decreto publicado nesta sexta-feira (20) inclui viagens de aviões com origem, escala ou conexão em estados e países com circulação confirmada do coronavírus.

Também está proibido a entrada de novos hóspedes no setor hoteleiro e alojamentos semelhantes, alojamentos turísticos e outros de curta estadia.

O decreto veda “toda e qualquer atividade de circulação de mercadorias e prestação de serviços, em estabelecimento comercial aberto ao público, considerada de natureza privada e não essencial à manutenção da vida”.

Outro tópico reforçado pelo documento é a suspensão de reuniões e eventos religiosos, filosóficos, sociais e associativos.

A visitação em todos os hospitais públicos e privados a pacientes internados com diagnóstico de coronavírus foi suspenso pelo decreto, exceto os casos de necessidade de acompanhamento a crianças.

Para as empresas do transporte coletivo, público e privado, o decreto determina que o transporte não pode exceder a quantidade de passageiros sentados.

Veja as atividades que podem continuar funcionando:

  • Estabelecimentos de saúde relacionados a atendimento de urgência e emergência, unidades de psicologia e psiquiatria, unidades de hematologia e hemoterapia, unidades de oncologia, neurocirurgia, cardiologia e neurologia intervencionista, pré-natal, unidade de terapia renal substitutiva, farmácias, clínicas de vacinação, além de laboratórios de análises clínicas;
  • Cemitérios e funerárias;
  • Distribuidores e revendedores de gás, postos de combustíveis, supermercados e congêneres;
  • Hospitais veterinários e clínicas veterinárias, incluindo os estabelecimentos comerciais de fornecimento de insumos e gêneros alimentícios;
  • Estabelecimentos comerciais que atuem na venda de produtos agropecuários;
  • Agências bancárias, conforme legislação federal;
  • Produtores e/ou fornecedores de bens ou de serviços essenciais à saúde, à higiene e à alimentação;
  • Estabelecimentos industriais de fornecimento de insumos/produtos e prestação de serviços essenciais à manutenção da saúde ou da vida humana e animal;
  • Obras da construção civil relacionadas a energia elétrica, saneamento básico, obras hospitalares e de penitenciárias e os estabelecimentos comerciais que lhes forneçam os respectivos insumos;
  • Serviços de call center restritos à área de segurança, alimentação, saúde, telecomunicações e de utilidade pública;
  • Empresas que atuam como veículo de comunicação;
  • Segurança privada;
  • Empresas do sistema de transporte coletivo e privado, incluindo as empresas de aplicativos e transportadoras;
  • Empresas de saneamento, energia elétrica e telecomunicações.

criação de site

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui