Ipasgo: novo ambulatório atende 13 especialidades médicas

0
808

Foi inaugurada nesta quarta-feira, dia 22, a Unidade Ambulatorial de Especialidades do Ipasgo, no Setor Leste Universitário, em Goiânia. Ao todo, 37 médicos de 13 especialidades vão atender os segurados do plano de saúde estadual em consultórios, com agendamento marcado pelo telefone 0800 62 19 19.  A expectativa, com a oferta do novo serviço, é absorver a demanda reprimida de pacientes que têm dificuldades de conseguir atendimento médico. Vale ressaltar que não haverá atendimento de urgência nem emergência.

O número médio de consultas diárias realizadas na unidade que começou a funcionar na última quarta-feira, dia 15, chega a 50. No entanto, existe capacidade para triplicar essa quantidade. Os profissionais são especialistas em neurologia, reumatologia, endocrinologia, mastologia, obstetrícia e alergia, além de geriatria que terá plantões diários. Os médicos foram contratados em regime emergencial por seis meses atendendo a um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) assinado com o Ministério Público Estadual.

O ambulatório também contempla seis subespecialidades pediátricas que recebem críticas dos usuários pela dificuldade de atendimento: cardiopediatria, endocrinopediatria, neuropediatria, gastropediatria, pneumopediatria e nefropediatria. O atendimento de pré-natal é feito em dois consultórios exclusivos. O horário de funcionamento do prédio, localizado na esquina das Ruas 229 e 230, lts 12/15, Setor Universitário, é de segunda à sexta-feira, das 7 às 19 horas.

O prédio onde ficavam os arquivos do Ipasgo foi reformado e adaptado às normas de acessibilidade. A obra consumiu R$ 434 mil e foi custeada com recursos do Instituto.  “A finalidade principal desse ambulatório é  atender os nossos usuários na marcação de consultas nas especialidades que a rede credenciada não tem atendido a contento. Nós sabemos que algumas dessas especialidades demandam atenção maior do profissional, uma consulta mais demorada e não temos encontrado esse ambiente. Aí foi necessário intervir no mercado, reformar um prédio que nós já tínhamos pra aqui instalar esse ambulatório”, afirma o presidente do órgão, Francisco Taveira Neto.

O governador Marconi Perillo ressaltou que o atendimento de geriatria é uma solicitação feita por ele para dar resposta a uma demanda crescente. “Um dado importante é que nós teremos o serviço de geriatria aqui. Eu transmiti ao presidente do Ipasgo a preocupação em atender esse público já que a população goiana e brasileira está envelhecendo e ele tomou esse cuidado de abrir essa vertente focada nas pessoas idosas”, destacou.

Pagamento em dia
Taveira falou sobre os esforços para assegurar o pagamento em dia dos profissionais credenciados junto ao plano de saúde e também para aplicar os reajustes nas tabelas de procedimentos, que sãoipasgo2negociados de forma amistosa com as entidades representativa. “Nós temos conseguido honrar os nossos compromissos rigorosamente em dia. Essa é uma etapa que o Ipasgo passa de estabilidade na sua economia. As receitas auferidas são suficientes para fazer face às despesas. Eles têm também as razões para pedir reajuste na tabela. Em alguns casos nós já concedemos. É uma negociação em que todos devem ceder para conseguir um ponto de equilíbrio”, afirma.

Hospital do Servidor Público
Marconi disse que o Ipasgo passou por um processo de transformação nos últimos cinco anos e meio, o que garantiu o saneamento financeiro do órgão. “Nós colocamos tudo em dia e agora estamos na fase da expansão do serviço. Estamos construindo, já está em fase de conclusão, o Hospital do Servidor Público que será um dos maiores hospitais do Estado”, destaca.

Segundo Taveira, o novo hospital deverá ser inaugurado no primeiro semestre de 2017. “O hospital já encontra-se com aproximadamente 70% da edificação executada. Estamos pagando as medições rigorosamente em dia e temos a previsão de até o mês de janeiro vermos concluída a parte da estrutura física. Daí em diante, é equipar e treinar o pessoal para começar a atender”, prevê.

O presidente também espera realizar o tratamento de pacientes que não conseguem determinados procedimentos no estado e acabam recorrendo à Justiça. “Não raramente somos surpreendidos com decisões judiciais que determinam encaminhar pacientes para outras unidades da federação para tratamentos que não são disponibilizados aqui e com o hospital queremos diminuir a judicialização, oferecer serviços no campo duvidoso. Vamos autorizar, mas assimilando o custo de uma maneira melhor num serviço que será próprio”, enfatiza.

Dificuldade de atendimento
A aposentada Vanda Maria Santana, de 62 anos, aprovou a nova estrutura e já percebeu mais agilidade no agendamento do procedimento. Ela esperava para ser atendida por um endocrinologista no ambulatório. “De primeiro a gente marcava, demorava a ser atendida, né. Dependendo da especialidade, chegava a um, dois meses. Às vezes, a gente desistia de marcar. Eles falavam que eram duas pessoas por mês para ser atendido e que não tinha vaga para o Ipasgo. E agora eu marquei e no intervalo de uma semana estou sendo atendida”, conta.

Ivando Pimenta Borges Júnior é diabético e vem a cada três meses a Goiânia para fazer exames e se consultar com o endocrinologista, sempre acompanhado da mulher, Brasineide Clemente Ferreira Pimenta. O casal de funcionários públicos mora na cidade de Goiás. Ela reclama da dificuldade para conseguir marcar a consulta com o especialista. Agora, pelo 0800, a consulta veio em duas semanas. “A gente não tem conseguido especialista nessa área. Três médicos do meu marido já se descredenciaram e dessa vez a atendente já agendou perguntando se eu tinha alguma preferência e eu nem sabia que era uma unidade nova. Aparentemente, está ótima. A gente recolhe pra isso. É um plano de saúde e a gente espera ser bem atendido”, cobra Brasileide.

criação de site