MPF consegue a indisponibilidade de bens de envolvidos em fraudes de mais de 7 milhões no imposto de renda de prefeituras em Goiás

0
537

Investigadas na Operação Apate, as fraudes davam-se mediante a retificação fraudulenta de Declarações de Imposto Retido na Fonte apresentadas por prefeituras e outros órgãos municipais

O Ministério Público Federal em Anápolis (MPF) obteve decisões favoráveis da Justiça Federal de Uruaçu (JF) em oito Ações de Improbidade Administrativa (AIA) motivadas por fraudes no Imposto de Renda dos Municípios de Bonópolis, Minaçu, Campinaçu, Itapaci, Pilar de Goiás, Formoso e São Miguel do Araguaia, todos localizados no norte do estado de Goiás. Com isso, foram decretadas, ao longo de 2015, a indisponibilidade de valores depositados em bancos; de veículos; de cotas de sociedade empresarial e de bens imóveis de 27 envolvidos no esquema.

As fraudes davam-se mediante a retificação fraudulenta de Declarações de Imposto Retido na Fonte – DIRFs – apresentadas por prefeituras e outros órgãos municipais e a inclusão de falsos prestadores de serviços com rendimentos fictícios, o que gerou restituições de imposto de renda (IR) indevidas.

Os inquéritos civis que deram suporte ao ajuizamento das ações foram instaurados pelo MPF com o objetivo de apurar ilícitos praticados em detrimento da União, investigados na chamada “Operação Apate”, deflagrada em 2011.

criação de site