Por que programa de vacinação dos EUA foi chamado de ‘caótico’ pela própria Casa Branca

0
153

Um alto funcionário da Casa Branca criticou o programa de vacinação contra covid-19 do governo de Donald Trump, dizendo que ele é “caótico” e “bastante limitado”.

O chefe de gabinete do presidente Joe Biden, Ron Klain, disse que não havia nenhum plano do governo federal para a distribuição de vacinas nos Estados Unidos.

O presidente, que assumiu o cargo na semana passada, prometeu 100 milhões de vacinas em seus primeiros 100 dias.

Os Estados Unidos já registraram mais de 25 milhões de casos de covid-19 e pelo menos 419 mil mortes foram associadas ao vírus. Nas últimas semanas, o número diário de mortes relacionadas à Covid nos EUA, em alguns dias, ultrapassou 4 mil.

Biden assinou uma série de novas medidas na semana passada, incluindo o reforço da vacinação e testes. Ele pediu aos americanos que usassem máscaras e alertou que o número de mortos pode piorar muito.

“Deixe-me ser claro: as coisas vão continuar a piorar antes de melhorar”, disse ele.

Os esforços de Biden vêm depois de críticas generalizadas ao gerenciamento da pandemia pelo governo Trump e ao programa de vacinação.

Vacinas foram distribuídas para Estados, e estados e municípios estão aplicando as vacinas. Mas alguns reclamaram que estão tendo problemas com o abastecimento.

De acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA, cerca de 41 milhões de doses foram distribuídas até o sábado (23/01) em todo o país, mas apenas 20,5 milhões foram aplicadas.

Em declarações à NBC News, Klain disse: “O processo de distribuição da vacina, especialmente fora dos lares de idosos e hospitais para a comunidade como um todo, não existia de verdade quando entramos na Casa Branca”.

Ele disse que era um processo “complexo”, mas que o governo Biden estabeleceria locais de vacinação federais para ajudar os Estados sem centros suficientes.

Quão ruim é a situação nos EUA?

O total de casos passa de 25 milhões até esta segunda-feira (25/01), de acordo com dados da Universidade Johns Hopkins.

As infecções dispararam nos últimos meses, com um salto em novas infecções depois do Dia de Ação de Graças e do Natal, de acordo com o Covid Tracking Project.

O número de hospitalizações atingiu seus níveis mais altos durante a pandemia no início deste mês, mas está lentamente começando a cair junto com os casos diários.

Anthony Fauci, o maior especialista em doenças infecciosas dos EUA, disse na semana passada que os dados da média móvel parecem mostrar que as infecções estão se estabilizando.

Embora o quadro nacional tenha se estabilizado um pouco, ele alertou que o país continua em “situação muito grave”.

O CDC está particularmente preocupado com o fato de que novas variantes possam acelerar a disseminação do vírus. Ele emitiu um alerta de que a nova cepa mais transmissível detectada pela primeira vez no Reino Unido pode se tornar a cepa dominante nos EUA em março.

A variante foi detectada em 20 Estados, segudo disse Fauci na semana passada. Mas ele alertou que o país tem “capacidade limitada” de rastrear sua disseminação pela população.

O que está sendo feito para combater o vírus?

Biden já promulgou uma série de medidas e quer que o Congresso aprove um pacote de financiamento de ajuda econômica de US$ 1,9 trilhão (mais de R$ 10 trilhões).

A cidade de Nova York chegou a cancelar e adiar milhares de marcações para vacinas devido a questões de abastecimento© EPA A cidade de Nova York chegou a cancelar e adiar milhares de marcações para vacinas devido a questões de abastecimento

O presidente espera obter a aprovação para sua ampla agenda de estímulos, mas a proposta já foi recebida com ceticismo e resistência por alguns republicanos.

Outra das principais promessas do novo presidente é vacinar 100 milhões em seus primeiros 100 dias de mandato, mas alguns criticaram essa política como não sendo ambiciosa o suficiente.

“Quando anunciei, todos vocês disseram que não é possível”, disse Biden na quinta-feira, após ser questionado se sua meta era alta o suficiente. “Vamos, me dê um tempo, cara. É um bom começo.”

Os atuais fornecedores das vacinas aprovadas no país, Moderna e Pfizer, se comprometeram a entregar 200 milhões de doses até março. Fauci também sugeriu que a aprovação emergencial de uma terceira vacina, uma injeção de dose única da Johnson & Johnson, pode levar apenas algumas semanas.

Fauci, que foi nomeado conselheiro médico chefe pelo novo presidente, expressou esperança de que, se 70 a 85% da população dos EUA for vacinada até o final do verão no hemisfério norte, o país poderá “atingir um grau de normalidade” no outono.

“Não vai ser perfeitamente normal, mas acho que vai tirar muita pressão do público americano”, disse ele em uma entrevista coletiva na Casa Branca.

O governo Biden também voltou a se comprometer com a Organização Mundial da Saúde (OMS) e está se juntando ao programa Covax para ajudar a garantir o acesso à vacina em todo o mundo. A mudança foi saudada pelo chefe da OMS, Dr. Tedros Adhanom Ghebreyesus.

criação de site

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui