Vamos “ordenar” Senado a derrubar os ministros do STF, diz Sérgio Reis

0
94

O cantor e ex-deputado Sérgio Reis divulgou um áudio pelo WhatsApp em que diz que vai entregar uma “intimação” ao presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), para que “aprove” o voto impresso e derrube os 11 ministros do STF (Supremo Tribunal Federal), em até 72h.

Segundo o cantor, o ultimato será entregue em 8 de setembro, por ele, 2 líderes dos caminhoneiros e 2 líderes dos produtores de soja. Sérgio Reis disse que, caso as reivindicações não sejam atendidas no prazo, “o país vai parar”“Norte a Sul, Leste a Oeste. Os plantadores de soja vão pôr as colheitadeiras nas estradas, ninguém pode andar, nem carro particular, nem ônibus. Todos estão sendo avisados.  Ônibus que vier com passageiro vai ter que voltar para trás. Só vai ter ambulância, polícia, bombeiro, uma emergência”. 

“Não é um pedido, é uma ordem. É assim que eu vou falar com o presidente do Senado”, declarou. O ex-deputado diz que o documento que entregará será uma “intimação”“É como um oficial de Justiça”, afirma o sertanejo.

A PEC (proposta de emenda à Constituição) que previa a impressão dos votos da urna eletrônica foi rejeitada na Cãmara na 3ª feira (10.ago). Pacheco já disse que considera o tema como “resolvido” e que não abordará o assunto no Senado.

Ouça o áudio enviado pelo ex-congressista:

Reprodutor de vídeo de: YouTube (Política de PrivacidadeTermos)

As falas do Sérgio Reis foram alvo de comentários no mundo político de Brasília. Congressistas da oposição pedem inclusive a prisão do ex-deputado.

O cantor afirma que enquanto o Senado não tomar uma posição, um grupo de manifestantes ficará em Brasília. “Se em 30 dias eles não tirarem aqueles caras [ministros do STF], nós vamos invadir, quebrar tudo, e tirar os caras na marra. A coisa está séria”.

No áudio, Sérgio Reis disse que tem feito reuniões com lideranças dos caminhoneiros, e que decidiram não fazer nenhum movimento no dia 7 de setembro, quando comemora-se a Independência do Brasil. “Nenhuma manifestação, pela data, pelo desfile, para não atrapalhar o presidente. Mas vamos parar em volta de Brasília”. 

O cantor afirmou também que se reuniu em Brasília com o presidente Jair Bolsonaro, o ministro da Defesa Walter Braga Netto e “generais do Exército, Marinha e Aeronáutica”. “São pessoas importantes, e eles não tinham ideia do que está sendo preparado pelos caminhoneiros, pela sociedade.”.  

criação de site

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui