quinta-feira, fevereiro 29, 2024
spot_img
HomeBrasilLula erra sobre urna eletrônica e suas candidaturas ao exaltar sistema eleitoral

Lula erra sobre urna eletrônica e suas candidaturas ao exaltar sistema eleitoral

O presidente Lula (PT) cometeu uma sequência de erros sobre a implementação da urna eletrônica e os próprios pleitos que concorreu ao exaltar o sistema eleitoral brasileiro nas redes sociais nesta segunda-feira (8), na esteira do aniversário de um ano dos ataques golpistas de 8 de janeiro.

Ele afirmou disputar eleições desde 1989, que não houve “ninguém que disputou tantas eleições” como ele, e que todos os pleitos presidenciais em que participou havia a utilização da urna eletrônica.

A primeira candidatura do petista, entretanto, ocorreu em 1982, quando tentou o Governo de São Paulo e perdeu para Franco Montoro, do então PMDB, hoje MDB. Quatro anos depois, pleiteou vaga na Câmara dos Deputados e venceu, tornando-se constituinte.

A partir de 1989, passou a disputar eleições presidenciais, quando perdeu para Fernando Collor, então no PRN. Em 1994 e em 1998 concorreu novamente ao Palácio do Planalto, derrotado por Fernando Henrique Cardoso (PSDB).

Já sobre as urnas eletrônicas, a primeira disputa na qual elas estiveram presentes foi em 1996, em 57 cidades. Lula só disputou eleições sob esse sistema em 1998, quando FHC tentava a reeleição –naquele ano, o voto eletrônico foi utilizado em cidades com mais de 40 mil habitantes, segundo o TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

A urna eletrônica só foi universalizada no país nas eleições municipais de 2000.

Reportagem da série “Os segredos do 8/1” revelou que no dia seguinte aos ataques, Lula repetia a ministros, auxiliares e aos presidentes dos outros Poderes que havia perdido as eleições muitas vezes e que não entendia por que os que haviam sido derrotados em outubro não aceitavam o resultado.

“Ele dizia: eu fui derrotado, entendi que fui derrotado e parti para outras disputas. Ele dizia isso muito. Nós vencemos. E por que os que foram derrotados não compreendem isso e não esperam o passar do tempo para depois disputar?”, relata o senador Veneziano Vital do Rêgo (MDB-PB), que estava como presidente interino do Senado na ausência de Rodrigo Pacheco (PSD-MG).

Folha de São Paulo

RELATED ARTICLES

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

- Advertisment -
Google search engine

Most Popular

Recent Comments