domingo, julho 21, 2024
spot_img
HomeBrasilLula reclama dos preços das passagens aéreas

Lula reclama dos preços das passagens aéreas

O cartão corporativo já pagou mais de de R$ 8,5 milhões em despesas com as viagens internacionais do presidente Lula , no ano passado. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disse nessa terça-feira, que as passagens aéreas no Brasil estão “muito caras”.

A fala do presidente ocorre em meio a uma série de adiamentos do programa “Voa Brasil”, e foi feita durante um evento com prefeitos para anunciar uma parceria de R$ 730 milhões com os municípios para combater o desmatamento e incêndios florestais na Amazônia. A agenda ocorreu no Palácio do Planalto, em Brasília.

“Parabéns, prefeitos e prefeitas, pelo sacrifício de vocês saírem das cidades de vocês e virem para cá num tempo em que as passagens de avião estão muito caras, muito caras”, afirmou.

O “Voa Brasil”, programa de passagens mais baratas, foi anunciado pelo governo ainda em março de 2023, pelo então ministro de Portos e Aeroportos, Márcio França. Recebido com estranheza pelo setor, e pelo próprio governo, o programa que prometia passagens a R$ 200 foi adiado inúmeras vezes. No mês de setembro de 2023, França deixou a pasta em uma reforma ministerial promovida pelo presidente Lula, ainda sem lançar o programa.

Voa Brasil: quando vai começar e quem poderá comprar passagens a R$ 200?

Programa deve beneficiar até 3 milhões de pessoas, de acordo com o Ministério de Portos e Aeroportos

O programa Voa Brasil, que irá ofertar passagens aéreas por R$ 200, terá início ainda no mês de abril. A expectativa é que entre 2,5 milhões e 3 milhões de pessoas que nunca viajaram de avião ou não embarcam em uma aeronave há pelo menos 12 meses consigam adquirir passagens aéreas pelo programa.

Após uma série de adiamentos, o ministro de Portos e Aeroportos, Silvio Costa Filho, informou no dia 3 de abril que o programa terá início ainda neste mês, mas o dia exato ainda não divulgado. Confira a seguir o que se sabe sobre o projeto.

QUEM TEM DIREITO AO VOA BRASIL?

Inicialmente, o programa será destinado a aposentados pelo INSS que recebem até dois salários mínimos mensais (até R$ 2.824) e bolsistas do Programa Universidade para Todos (Prouni). O grupo abrange cerca de 20 milhões de aposentados e 600 mil estudantes, segundo Costa Filho.Lula confirma Sílvio Costa Filho como Ministro dos Portos e Aeroportos -  Blog do Aryel AquinoBlog do Aryel Aquino

“Essa é a primeira etapa do programa e, a partir daí, a gente vendo que o programa funcionou, vai tentar cada vez mais, ao lado das aéreas, buscar a ampliação do programa”, pontuou o ministro sobre a possibilidade de ampliar para outros públicos o Voa Brasil.

CADASTRO

O programa, que deve entrar em funcionamento em abril, ainda não conta com informações sobre como fazer o cadastro, nem como os bilhetes podem ser comprados mais baratos.

No entanto, Costa Filho já adiantou que o programa terá um site exclusivo para a compra de passagens. Todo o público elegível para ter acesso aos tickets com desconto deverá fazer isso por meio dessa plataforma, em vez de adquirir os bilhetes por meio dos canais oficiais das companhias aéreas.

COMPRA DE PASSAGENS

Ainda não há detalhes sobre o número de passagens que serão disponibilizadas no dia de lançamento da iniciativa. Também não está estabelecido o tempo de duração do programa nem mesmo quantas passagens serão disponibilizadas no total.

Conforme o Ministério, a intenção é vender os bilhetes mais baratos fora da alta temporada, em dois períodos: de fevereiro a junho e de agosto a novembro, quando tradicionalmente ocorre uma ociosidade média de 21% nos voos domésticos.

Os participantes poderão comprar até duas passagens por ano, com direito a um acompanhante em cada trecho. Os bilhetes deverão ser pagos em até 12 vezes com juros, no valor de até R$ 72 por prestação.

Não está definido que companhias aéreas vão participar. Conforme o ministro Costa Filho, a queda no preço das passagens está atrelada a políticas que reduzam o preço do querosene da aviação.

“Temos dois problemas que preocupam a aviação: o custo do querosene de aviação e a judicialização”, classificou o ministro. Segundo ele, no Brasil, o combustível representa de 30% a 35% do custo das companhias, enquanto na Europa é em média de 18%. “O governo busca reduzir o custo do querosene de aviação. Já caiu 14%. Queremos combater preços abusivos. Não faz sentido os trechos subirem para R$ 4 mil”, criticou.

Noticias relacionadas

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

- Advertisment -spot_img

Mais Lidas

Commentarios