quinta-feira, abril 18, 2024
HomeBrasilNo dia da reunião com Lula, Maduro vai anunciar “acordo nacional” sobre...

No dia da reunião com Lula, Maduro vai anunciar “acordo nacional” sobre eleições

Com chancela do PT e PCdoB, Foro de São Paulo apoia partido de Maduro e defende pleito

A Autoridade Eleitoral Venezuelana vai receber nesta sexta-feira (1º) um documento do parlamento do país assinado por dezenas de partidos no qual serão sugeridas 27 datas para o pleito.

Redigido por um grupo batizado como “Mesa de Diálogo Nacional”, o Acordo Nacional Sobre Princípios Gerais e Garantias Eleitorais será protocolado no mesmo dia da reunião entre o ditador da Venezuela, Nicolás Maduro, e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Segundo relatos feitos à CNN por auxiliares diretos do petista, Lula pretende falar com Maduro sobre a importância de se fixar uma data para as eleições presidenciais na Venezuela ainda em 2024, conforme estabelecido pelo Acordo de Barbados.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) deve se encontrar com o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, à margem da cúpula da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos, que ocorrerá nesta sexta-feira (1º), em São Vicente e Granadinas. O acordo, celebrado em outubro do ano passado, prevê a realização de eleições transparentes e a libertação de oposicionistas presos. Em troca, os Estados Unidos suspenderam parcialmente suas sanções econômicas contra a Venezuela.

O acordo assinado por diversos partidos venezuelanos ignora a perseguição de Maduro a oposicionistas, prega a defesa da “soberania nacional”, defende a “integridade territorial” do país com a Guiana Essequiba e rechaça o “paralelismo institucional promovido por movimentos antidemocráticos”.

Apoio brasileiro
“Há problemas, mas a Venezuela não abandonou o Acordo de Barbados. Eles estão fazendo uma negociação interna. Maduro vai argumentar com Lula que o acordo precisava de uma negociação interna, que foi feita agora”, disse à CNN Ana Prestes, secretária de Relações Internacionais do PCdoB e integrante do Foro de São Paulo.

A dirigente disse que respeita o processo interno da Venezuela e que o caso de Maria Corina Machado, líder da oposição na Venezuela que teve a candidatura para as eleições presidenciais no país barrada pelo Supremo Tribunal local em 26 de janeiro, é anterior ao acordo. “Esse caso já estava em curso na Justiça. O que existe na Venezuela é uma guerra de informações. Há uma disposição ao diálogo e ao debate”, disse Prestes.

Segundo o documento obtido pela CNN, a data mais próxima para a eleição é 1° de maio e a mais distante em 8 de dezembro.

CNN

RELATED ARTICLES

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

- Advertisment -
Google search engine

Most Popular

Recent Comments