terça-feira, maio 28, 2024
spot_img
HomeBrasilMinistro lista Eduardo Bolsonaro e Pablo Marçal em pedido de investigação sobre...

Ministro lista Eduardo Bolsonaro e Pablo Marçal em pedido de investigação sobre fake news

O ministro Paulo Pimenta, da Secretaria de Comunicação da Presidência da República, listou postagens em redes sociais do deputado Eduardo Bolsonaro (PL-SP, filho do ex-presidente Jair Bolsonaro), do senador Cleitinho Azevedo (Republicanos-MG) e do coach e ex-candidato nas eleições de 2022 Pablo Marçal em um pedido de investigação sobre fake news relacionadas às enchentes e seus efeitos no Rio Grande do Sul. A lista está em um ofício destinado ao ministro da Justiça, Ricardo Lewandowski, divulgado por Pimenta nesta terça-feira, 7.

“Recentemente a Secretaria de Comunicação Social foi informada sobre a existência de narrativas desinformativas e criminosas vinculadas às enchentes e desastres ambientais ocorridos no Estado do Rio Grande do Sul. Este ofício tem por propósito destacar esses acontecimentos, sua relevância e impacto no aprofundamento da crise social vivida pela população”, escreveu o ministro, que é gaúcho.

“Destaco com preocupação o impacto dessas narrativas na credibilidade das instituições como o Exército, FAB, PRF e Ministérios, que são cruciais na resposta a emergências. A propagação de falsidades pode diminuir a confiança da população nas capacidades de resposta do Estado, prejudicando os esforços de evacuação e resgate em momentos críticos. É fundamental que ações sejam tomadas para proteger a integridade e a eficácia das nossas instituições frente a tais crises”, disse ele.

Em seguida, Paulo Pimenta lista onze postagens em redes sociais que seriam relevantes – ou seja, que configurariam, na visão do ministro, fake news danosas às ações contra as enchentes e seus efeitos. O Broadcast Político reproduz a seguir o que Pimenta escreveu sobre postagens de Eduardo Bolsonaro, Cleitinho e Marçal.

Eduardo Bolsonaro – “Eduardo Bolsonaro criticou a ajuda do governo federal ao Rio Grande do Sul, ao mencionar que o governo levou quatro dias para enviar reforços a região. (Interações: 4,8 mil | Inscritos: 2,8 milhões)”;

Pablo Marçal – Em vídeo publicado no dia 05/05/2024 na plataforma X, Pablo Marçal veicula conteúdo desinformativo em relação à atuação do poder público em relação aos desastres ambientais ocorridos no Rio Grande do Sul. “Dentre as afirmações contidas no vídeo, estão que ‘a Secretaria da Fazenda do Estado está barrando os caminhões de doação’, ‘não estão deixando distribuir comida, marmita’ e que ‘esse é ano político, a mídia não vai mostrar direito o que tá acontecendo, entendeu? Por causa dos políticos’. Tal conteúdo, vale dizer, já foi inclusive desmentido pela Secretaria da Fazenda do RS e por portais de notícia como o Diário do Centro do Mundo”;

Cleitinho Azevedo – “Em outros vídeos que circulam em diferentes plataformas, a mesma figura [Marçal] afirma: ‘Eu não entendo por que que um empresário sozinho tem mais helicóptero lá do que a Força Aérea Brasileira. Até agora não entendi o que que esse Presidente tá fazendo’. Importante destacar que o conteúdo veiculado por Pablo Marçal tem larga escala de alcance e é tomado como verdade, replicado por outras figuras em diferentes plataformas de redes sociais. Entre eles, o Senador Cleitinho Azevedo também tem ativamente compartilhado conteúdo desinformativo em suas plataformas de redes sociais. Em post compartilhado nas plataformas Instagram e X, ele afirma que ‘A secretaria do Estado do Rio Grande do Sul ESTÃO BARRANDO os caminhões de doações por falta de nota fiscal. Canalhas! Pegam essas notas fiscais e levam para o quinto dos infernos. Se vocês não conseguem ajudar, não atrapalha quem está ajudando!’. O post também conta com vídeo do político no qual ele exibe o conteúdo de Pablo Marçal. Após a exibição do vídeo de Marçal, Cleitinho reafirma que a Secretaria da Fazenda do Estado do Rio Grande do Sul estaria barrando doações por falta de nota fiscal e os manda ao ‘quinto dos infernos’. O Senador, ainda, pede ao final que quem concorde com ele compartilhe seu vídeo com o Brasil inteiro”.

Estadão

RELATED ARTICLES

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

- Advertisment -
Google search engine

Most Popular

Recent Comments