quinta-feira, abril 18, 2024
HomeBrasilEm carta, Netanyahu convida Caiado para reunião em Israel

Em carta, Netanyahu convida Caiado para reunião em Israel

Viagem do governador deverá ter fechamento de parcerias e visitas a locais atacados pelo Hamas no dia 7 de outubro

O gabinete do primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, endereçou nesta quarta-feira (13) uma carta ao governador Ronaldo Caiado (União Brasil) em que o convida para uma reunião com o líder israelense durante sua viagem ao país, marcada para a próxima semana.

O jornal O HOJE teve acesso à missiva que é assinada por Yossi Shelley, atual diretor-geral do gabinete de Netanyahu e ex-embaixador de Israel no Brasil durante o governo Jair Bolsonaro (PL). Além da reunião com o primeiro-ministro, Caiado também deverá visitar empresas a fim de estabelecer parcerias nas áreas de tecnologia, segurança pública e recursos hídricos, segundo o convite.

A previsão é que o governador embarque para Israel no dia 16 (próximo sábado) e retorne a Goiânia cinco dias depois, em 22 de março. Conforme antecipou O HOJE, além da reunião com Netanyahu, Caiado deverá ter encontros com o presidente do Parlamento israelense, Amir Ohana, com o presidente do país, Isaac Herzog, além de ida a locais atacados pelo Hamas no dia 7 de outubro.

Sobre os atentados, que desencadearam o conflito que se arrasta desde o ano passado entre Israel e o grupo Hamas, o documento enviado pelo gabinete de Netanyahu ao Palácio das Esmeraldas ressalta que “o Estado de Israel atribui grande importância a esta visita [de Caiado], que terá lugar no contexto do maior ataque terrorista desde a criação do Estado de Israel, que conduziu a uma guerra pelo retorno dos sequestrados e pela eliminação da organização terrorista Hamas”.

Além do gabinete do primeiro-ministro israelense, o convite para reunião de Caiado com Netanyahu foi confirmado pela Embaixada de Israel no Brasil na terça-feira (12) em carta enviada ao governador goiano e assinada por Daniel Zonshine, embaixador israelense no Brasil.

Os custos da viagem do governador, como passagem aérea, traslado, alimentação e hospedagem, deverão ser bancados pelas entidades que o convidaram — a comunidade brasileira em Israel, representada pela organização Kehilat Or Israel, e também pela Gmach Brasil, além da embaixada israelense.

O convite conjunto desses dois grupos representantes da comunidade brasileira enviado ao goiano, ao qual O HOJE teve acesso, prevê que durante o périplo ocorra encontros de conteúdo em colaboração com as Forças de Defesa de Israel, “bem como encontro com representantes oficiais e eventos com especialistas e portadores de informações relevantes das questões institucionais do conflito, e da geopolítica do Oriente Médio”.

O HOJE apurou que Caiado deverá viajar a Israel acompanhado do tenente-coronel da Polícia Militar Rodrigo Hebert Corrêa, ajudante de ordens do governador.

A viagem do governador goiano ocorre na esteira da crise diplomática entre Brasil e Israel, iniciada no mês passado após fala do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em que associou os ataques israelenses à Faixa de Gaza ao Holocausto perpetrado por Hitler e chamou de “genocídio”. Após isso, o governo israelense reagiu às declarações de Lula e o chamou de “persona non grata”.

A agenda em Israel será o primeiro ato depois da assinatura do termo de cooperação entre o governo goiano e o país israelense, firmado em fevereiro, durante a inauguração do parque “Am Israel Chai” (O povo de Israel vive) na sede do Detran Goiás. A ação prestou homenagem às vítimas do atentado terrorista do dia 7 de outubro do ano passado, quando cerca de 1,2 mil israelenses foram mortos.

Auxiliares do Palácio das Esmeraldas afirmam que, para além das questões diplomáticas e de estabelecimento de parcerias, a viagem de Caiado a Israel não fugirá do tom político de contraponto ao presidente Lula, uma vez que o petista está com as relações desgastadas com Israel após a repercussão negativa de suas declarações no mês passado.

O governador goiano tem intensificado ações em torno do seu projeto presidencial para 2026 e feito gestos ao espólio do ex-presidente Jair Bolsonaro, a exemplo da participação no ato convocado pelo ex-chefe do Planalto na avenida Paulista, em São Paulo (SP), no dia 25 de fevereiro. À época, sob o agito internacional a respeito das falas polêmicas de Lula, Bolsonaro exibiu a bandeira de Israel no trio elétrico em que estavam Caiado e a primeira-dama Gracinha Caiado, o governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos), e outros políticos.

Caiado, que estará em Israel com o governador paulista, tem adotado postura de diálogo e equilíbrio sobre o conflito no Oriente Médio. Entre o fim de fevereiro e o início deste mês, ele recebeu os embaixadores de Israel e também da Palestina — este último em jantar realizado no Palácio das Esmeraldas no dia 6.(OHOJE)

RELATED ARTICLES

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

- Advertisment -
Google search engine

Most Popular

Recent Comments