quinta-feira, abril 18, 2024
HomeBrasilEx-comandante do Exército deixou claro a Bolsonaro que não participaria de golpe

Ex-comandante do Exército deixou claro a Bolsonaro que não participaria de golpe

Em depoimento à Polícia Federal (PF), o general Freire Gomes disse que ex-presidente estudava minuta que embasaria ruptura democrática

O general Marco Antônio Freire Gomes, ex-comandante do Exército, afirmou, em depoimento à Polícia Federal (PF), que o então presidente Jair Bolsonaro (PL) apresentou hipóteses de utilização de instrumentos jurídicos como Garantia da Lei e da Ordem (GLO), Estado de Defesa e Estado de Sítio. Freire Gomes teria ainda alertado Bolsonaro que o Exército não participaria de um eventual golpe de Estado.

Freire Gomes informou à PF que, pelo que se recorda, o almirante Almir Garnier Santos, então comandante da Marinha, teria se colocado à disposição de Bolsonaro.

O relato de Freire Gomes corrobora o que o ex-comandante da Aeronáutica Carlos de Almeida Baptista Junior declarou aos investigadores. Em sua oitiva, Baptista Junior narrou que em uma reunião com Bolsonaro, Garnier colocou suas tropas à disposição do então chefe do Executivo para um possível golpe de Estado.

Freire Gomes relata ainda uma reunião no Palácio da Alvorada com Bolsonaro, os comandantes da Aeronáutica e da Marinha e o então ministro da Defesa, general Paulo Sérgio Nogueira. No encontro, o assessor da Presidência da República Filipe Martins teria lido os fundamentos jurídicos de uma minuta que embasaria a ruptura democrática.

Após a leitura, Martins deixou o local e, logo em seguida, Bolsonaro disse aos comandantes das Forças que o documento estava em estudo.

Em nova reunião, também no Alvorada, Freire Gomes alega que ele e Baptista Junior, da Aeronáutica, manifestaram suas posições contrárias à minuta e afirmaram que o texto não teria suporte jurídico.

CNN

RELATED ARTICLES

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

- Advertisment -
Google search engine

Most Popular

Recent Comments