domingo, julho 21, 2024
spot_img
HomeBrasilMPSP revela que PCC financiou empresa de ônibus paulistana com R$ 54...

MPSP revela que PCC financiou empresa de ônibus paulistana com R$ 54 mi

Uma investigação m conduzida pelo Ministério Público de São Paulo (MPSP) e pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) desvendou que a facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) injetou R$ 54 milhões em dinheiro do tráfico de drogas e de outras atividades ilícitas na empresa de ônibus Transwolff. Este aporte milionário foi fundamental para que a Transwolff entrasse na disputa pela licitação do transporte público de São Paulo, com foco na lavagem de dinheiro.

Segundo o MPSP, o dinheiro foi estrategicamente ocultado pela criação da empresa MJS Participações Ltda em 2014, que logo se tornou sócia da Transwolff, elevando seu capital social de R$ 1 milhão para R$ 55 milhões em apenas um ano. Este aumento substancial no capital habilitou a Transwolff, conhecida também como TW, a cumprir os requisitos de capital social mínimo de R$ 25 milhões exigidos no edital da licitação lançada pela gestão de Fernando Haddad (PT) em 2015.

As investigações apontam para depósitos fracionados e anônimos, além de transferências de supostos empréstimos de 88 pessoas, incluindo funcionários da empresa e titulares de negócios ligados à contabilidade da TW, somando R$ 26,6 milhões usados na aquisição de 50 novos ônibus. A MJS, que oficialmente não realizou nenhuma atividade operacional ou adquiriu bens significativos, foi incorporada à TW em dezembro de 2019.

O MPSP também identificou que um restaurante, contratado para fornecer refeições aos funcionários da TW, emitia notas fiscais frias, atuando como uma “noteira” para ajudar na lavagem.

Hora Brasília

Noticias relacionadas

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

- Advertisment -spot_img

Mais Lidas

Commentarios